Categoria: Artigos

Noé – Oito Sobreviveram.

A despeito da ausência de aparelhagens meteorológicas sofisticadas, o Dilúvio dos tempos de Noé não veio sem aviso. Deus revelou Seu plano de um juízo global catastrófico aproximadamente um milênio antes a Enoque, que deu a seu filho o nome de Metusalém para celebrar a memorável revelação. O nome Metusalém transmite um mau presságio e significa literalmente, “Quando ele morrer, isso será enviado”.[1] Não é por coincidência que Metusalém morreu apenas alguns meses antes do grande Dilúvio e que sua vida seja a mais longa registrada em toda a história.

Desde o tempo da expulsão de Adão e Eva do jardim do Éden até o Dilúvio, houve uma determinação cada vez maior por parte da humanidade em desafiar os preceitos de Deus:

A maldade do homem se havia multiplicado na terra e […] era continuamente mau todo desígnio do seu coração. […] Todo ser vivente havia corrompido o seu caminho na terra” (Gn 6.5,12).

A humanidade não estava apenas corrompida, mas era cheia de violência; o mundo estava pronto para o juízo (v.11). E, embora Deus tenha suspendido a execução da raça humana por muitos anos, Ele finalmente cumpriu o que havia prometido.

Além da rebelião humana coletiva contra Deus, muitos estudiosos da Bíblia crêem que também houve rebelião dos anjos. Embora haja outras interpretações para Gênesis 6.4, uma visão bastante respeitada é que alguns anjos caídos deixaram sua habitação normal, escolheram viver no âmbito físico e coabitaram com mulheres terrenas [veja também Jd 6-7]. Essas uniões produziram “valentes, varões de renome”, ou descendentes super-humanos que podem ter sido a origem de mitologias e lendas antigas.

Como apenas seres humanos podem ser redimidos, o objetivo provável desses anjos caídos era saturar toda a raça humana com uma linhagem demoníaca, tornando impossível a salvação da humanidade.[2] O plano redentor para a humanidade precisava eliminar um mundo corrompido pelo cruzamento com demônios, pela maldade e violência desenfreadas. Por isso, Deus anunciou: “Resolvi dar cabo de toda carne […] eis que os farei perecer juntamente com a terra” (Gn 6.13).

Em preparação para o Dilúvio, Deus ordenou que ele construísse uma arca de refúgio (v.14). Assim que foi terminada, a arca era um sinal de juízo iminente, uma vez que Noé continuava pregando para um mundo que não se arrependia.

Deus preveniu a humanidade por meio de uma família de profetas começando com Enoque; depois, o filho de Enoque, Metusalém; o neto, Lameque; e finalmente, o bisneto, Noé. Noé pregou sobre a vinda do julgamento global a uma geração cada vez mais perversa. Em preparação para o Dilúvio, Deus ordenou que ele construísse uma arca de refúgio (v.14). Assim que foi terminada, a arca era um sinal de juízo iminente, uma vez que Noé continuava pregando para um mundo que não se arrependia.

Então, “aos dezessete dias do segundo mês [no ano em que Metusalém morreu],[3]nesse dia romperam-se todas as fontes do grande abismo, e as comportas dos céus se abriram” (Gn 7.11).

Horríveis Geysers de Água e Gás

O juízo profetizado veio com a força de um tsunami. Pesquisadores que estudam catastrófes em placas tectônicas apresentam um modelo de Dilúvio que é nada menos que medonho. Eles sugerem um cenário aterrador, começando com terremotos que agitaram o planeta à medida que as placas pré-diluvinas do fundo oceânico se soltaram e rapidamente afundaram em direção ao centro da Terra. Placas continentais foram velozmente tragadas para dentro dessas “zonas de subdução”, como tapetes gigantes que estavam sendo arrancados de debaixo dos habitantes da Terra.[4]

As pancadas da crosta continental nas placas oceânicas causaram um levantamento do fundo oceânico, deslocando enormes quantidades de água dos mares do mundo para cima de terras secas. Um cientista estima um aumento no nível do mar “de mais de um quilômetro a partir apenas desse mecanismo”.[5]

Materiais derretidos escorrendo através de fissuras que iam avançando vaporizaram os oceanos e aqueceram os reservatórios subterrâneos, criando geysers lineares de água e gases quentes de milhares de quilômetros de extensão. À medida que esses gases e vapores esfriaram, eles condensaram, fornecendo a fonte principal das chuvas torrenciais durante os primeiros 40 dias e noites do grande Dilúvio.[6]

Exclusiva do mundo antediluviano era a abóbada de água-vapor que cobria a Terra e que criou o efeito-estufa que regulava as temperaturas globais. Os eventos destrutivos que se desenrolaram sobre o planeta fizeram desmoronar essa abóbada que os cientistas criacionistas estimam que continha o equivalente a alguns centímetros até 12 metros de água. Em pouco mais de um mês, a água cobriu cada centímetro do globo com 15 côvados (aproximadamente 6,60 metros) acima do ponto mais elevado da terra (Gn 7.20).

Pelo Menos 235 Milhões Morreram

Deus tinha anunciado: “Estou para derramar águas em dilúvio sobre a terra para consumir toda carne em que há fôlego de vida debaixo dos céus; tudo o que há na terra perecerá” (Gn 6.17). A Bíblia registra: “Pereceu toda carne que se movia sobre a terra […] foram exterminados todos os seres que havia sobre a face da terra” (Gn 7.21,23).

O grande Dilúvio destruiu uma população global estimada em pelo menos 235 milhões de pessoas, de acordo com o Dr. Henry M. Morris. Segundo esse autor, “mais de 3 bilhões de pessoas poderiam facilmente estar na terra nos tempos de Noé”.[7] A não ser por Noé e sua família, toda a humanidade pereceu.

Ainda que o grande Dilúvio seja uma demonstração sem precedentes do juízo de Deus, ele também é um testemunho de Sua graça, disponível para todos que a aceitam.

O Dilúvio foi um julgamento destruidor terrível sem paralelos na história. O fato de que grupos de pessoas de todas as regiões do globo conservem uma “tradição de Dilúvio” não apenas reforça a historicidade, mas também estabelece uma conexão de ancestralidade comum com aqueles que realmente experimentaram o evento.[8] As milhares de histórias folclóricas de um dilúvio global em si já corroboram o relato de Gênesis.

A etimologia do nome de Noé e as palavras associadas com o Dilúvio também apresentam um vínculo intrigante com as oito pessoas que sobreviveram na arca que repousou sobre as montanhas de Ararate. Com os fatos horríveis gravados indelevelmente em suas memórias, essas oito pessoas saíram da arca para repovoar a terra, gravando a experiência de sua sobrevivência nas mentes de seus descendentes.

A rebelião aberta contra Deus acompanhada pela depravação completa do mundo antediluviano precipitaram a subseqüente destruição de quase toda a carne por parte de Deus. Embora Sua promessa de um juízo global não tenha sido cumprida imediatamente, ela finalmente o foi; e apenas oito almas que atenderam a admoestação de Deus sobreviveram.

Ainda que o grande Dilúvio seja uma demonstração sem precedentes do juízo de Deus, ele também é um testemunho de Sua graça, disponível para todos que a aceitam. (Charles E. McCracken – Israel My Glory – http://www.chamada.com.br)

Notas:

  1. Henry M. Morris, The Genesis Record (Grand Rapids: Baker Book House, 1976), 159-160.
  2. Renald Showers, Those Invisible Spirits Called Angels (Bellmawr, NJ: The Friends of Israel Gospel Ministry, Inc., 1997), 105.
  3. James Ussher, Annals of the World (Green Forest, AR: Master Books, 2003), 19.
  4. Steven A. Austin, D. Russell Humphreys, Larry Vardiman, John Baumgardner, Andrew A. Snelling, e Kurt P. Wise, Catastrophic Plate Tectonics: A Global Food Model of Earth History, Institute for Creation Research, 1994 icr.org/research/index/reseachp–as–platetectonicsl/.
  5. Ibid.
  6. Ibid.
  7. Henry M. Morris, “Babel and the World Population Biblical Demography and Linguistics”, de Henry M. Morris, The Biblical Basis for Modern Science (Grand Rapids: Baker Books, 1984), ldolphin.org/morris.html.
  8. John D. Morris, Why Does Nearly Every Culture Have a Tradition of a Global Flood?Institute for Creation Research icr.org/article/570/.
Charles E. McCracken é diretor de The Friends of Israel para o Canadá, em Brampton, Ontário.

Revelações Sobre o Céu

nastol.com.ua-983[dropcap]V[/dropcap]ocê já deve ter ouvido falar muitas vezes sobre o céu. Devemos sempre ter em mente que nunca é demais estudar sobre o lugar onde iremos morar eternamente. Agora vamos conhecer novas coisas sobre o céu, reveladas pela Palavra de Deus. Vale dizer que não precisa ninguém ir aos céus para nos dizer como é lá, porque a Palavra de Deus nos diz tudo o que precisamos saber sobre ele. Quem nos deu a revelação sobre o Céu foi o seu Criador, o Senhor Jesus Cristo.

Quando Deus criou os céus?
A Palavra de Deus nos diz que os céus foram criados no princípio. Gen 1:1 – NO princípio criou Deus os céus e a terra. Gen 2:4 -Estas são as origens dos céus e da terra, quando foram criados; no dia em que o Senhor Deus fez a terra e os céus.
Porque a Palavra de Deus chama Céus e não céu?
Como podemos notar a palavra está no plural. O motivo pelo qual é chamada de ‘céus’ é porque existem mais de um céu. Vamos ler a Palavra de Deus e entender melhor.
Onde ficam o primeiro e o segundo céu?
Pela ordem primeiro, segundo e terceiro, fica fácil entender que o primeiro céu é este que avistamos, podemos contemplar as nuvens, e toda a beleza criada por Deus. Sal 19:1 – OS céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos.
[pullquote_right]O segundo céu é o espaço interestelar, onde habitam os seres espirituais, mencionados na Palavra de Deus[/pullquote_right]
Efe 6:12 – Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.

O Apóstolo Paulo é levado ao Terceiro Céu. Vamos entender sobre o terceiro céu: 2Co 12:2 – Conheço um homem em Cristo que há catorze anos (se no corpo, não sei, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado ao terceiro céu. 2Co 12:4 – Foi arrebatado ao paraíso; e ouviu palavras inefáveis, que ao homem não é lícito falar.
[quote]O Terceiro Céu é onde habita Deus. Devemos notar que Paulo diz que foi arrebatado ao paraíso. O paraíso é o lugar onde o Senhor Jesus disse que estaria no dia em que Ele morreu por nossos pecados. [/quote]Luc 23:43 – E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.

Cidade CelestialNOSSA CIDADE ESTÁ NOS CÉUS:

Flp 3:20 – Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo,
A cidade é de ouro puro:
Apo 21:18 – E a construção do seu muro era de jaspe, e a cidade de ouro puro, semelhante a vidro puro.
A cidade não tem Templo:
Apo 21:22 – E nela não vi templo, porque o seu templo é o Senhor Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro.
A cidade não precisa de luz:
Apo 22:5 – E ali não haverá mais noite, e não necessitarão de lâmpada nem de luz do sol, porque o Senhor Deus os ilumina; e reinarão para todo o sempre.
Na cidade veremos o rosto do Senhor Jesus Cristo:
Apo 22:4 – E verão o seu rosto, e nas suas testas estará o seu nome.
Na cidade estará o Trono de Deus e do Cordeiro:
Apo 22:3 – E ali nunca mais haverá maldição contra alguém; e nela estará o trono de Deus e do Cordeiro, e os seus servos o servirão.
O céu é morada dos anjos:
Mat 22:30 – Porque na ressurreição nem casam nem são dados em casamento; mas serão como os anjos de Deus no céu.

[dropcap]Aplicação[/dropcap]
Nos dias de hoje todos estão correndo em busca de alguma coisa, ou de como melhorar a vida aqui na terra. Devemos pensar em primeiro lugar no céu, no reino de Deus, para que a nossa eternidade seja abençoada na morada que o Senhor Jesus preparou para os que O aceitaram.

É Hora de Tomar Decisões

[dropcap]N[/dropcap]ão importa a idade, desde a menor criança até o ancião, todos nós devemos e podemos tomar decisões. Quando formos tomar as decisões em nossas vidas precisamos tomá-las dentro da vontade de Deus, usando as três características dessa divina vontade: Boa, agradável e perfeita. Rom 12:2 – E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.

Mas, quais as decisões que devemos tomar? Certamente devemos tomar as decisões que nos aproximam de Deus e nos proporcionem uma vida cheia do Espírito Santo. Iremos nesta lição examinar algumas decisões tomadas por servos de Deus que nos servem de exemplos.

A decisão de Jacó:

foto-4_0A vida de Jacó, neto de Abraão, filho de Isaque, é o retrato de uma vida que progressivamente foi se aproximando de Deus. Jacó tomou uma decisão que lhe trouxe influência para a vida toda. No momento em que ele mais sofria, fora de casa, passando necessidades, ele tomou uma decisão: Gen 28:22 – E esta pedra que tenho posto por coluna será casa de Deus; e de tudo quanto me deres, certamente te darei o dízimo. Eu e você precisamos tomar esta decisão, precisamos agora entender que o dízimo é a prova de nossa fidelidade a Deus. O dizimo abre as janelas dos céus e as bênçãos são derramadas sobre nós.

 

A decisão de Josué:

Josué era servo de Moisés, após a morte de Moisés ele foi chamado por Deus para liderar o povo de Deus à terra prometida. Em meio a idolatria das nações pelas quais eles passaram, em meio a incredulidade dos israelitas, diante das rebeliões, esse homem chamado Josué, tomou uma decisão: Jos 24:15 – Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao Senhor, escolhei hoje a quem sirvais; se aos deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além do rio, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor. Hoje você pode tomar essa decisão, mesmo que você não seja o chefe da casa, mesmo que você não seja o dono da casa, não importa a sua idade, você pode tomar essa decisão espiritual e declarar que você a sua casa passarão a partir de hoje servir ao Senhor.

A decisão de Zaqueu:

31out-2010-zaqueu1Zaqueu tinha uma vida de enroladas, não era sincero no trabalho, fraudava as pessoas, e ficou rico tomando as coisas do próximo. Quando o Senhor Jesus chegou em sua casa, Zaqueu diante da presença gloriosa de Jesus tomou a decisão de se converter, mas juntamente com essa decisão e tomou outra decisão: Luc 19:8 – E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado. Além de ser agora um crente, ele também resolveu devolver aquilo que tinha tirado dos pobres e restituir o que tinha defraudado. A decisão é essa: “me converti vou parar de viver com enroladas”.

 

Conclusão: Precisamos urgente tomar decisões que edifiquem nossas vidas. Nenhuma decisão será boa se não estiver dentro da vontade de Deus expressa na Palavra de Deus. Como foi dito no início deste artigo, não importa a idade, se hoje tomarmos a decisão certa em nossas vidas teremos toda uma vida cheia de bênçãos e vitórias. Amém.

[divider]

Direitos Reservados: Pastor Valmir Alencar – Setembro/2013. O Pastor Valmir quando fez este artigo usou somente a Bíblia Sagrada como fonte.

Perguntas e Respostas

Perguntas e Respostas

Eu já aceitei Jesus, preciso aceitar de novo?
Não. Aceitar jesus é uma decisão que se toma uma vez só, é um compromisso que assumimos diante do Senhor e desde que seja verdadeiro não há necessidade de aceitar novamente. É evidente que todos os dias devemos estar renovando este nosso compromisso com Deus.

Depois de aceitar a Jesus, eu preciso continuar indo na igreja?
Sim. Muitas pessoas vão à igreja, aceitam Jesus e depois não volta mais, isto está errado. Aceitar Jesus é apenas o início da nossa caminhada com o Senhor, temos que cultivar e renovar constantemente este nosso compromisso. Veja o que diz em Mateus 24.13

Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo.

Perceba que a salvação é condicional à nossa fidelidade com a palavra de Deus.

O que vai mudar na minha vida depois que eu aceitar Jesus?
O primeiro e principal acontecimento será a salvação, todos aqueles que aceitam Jesus como Senhor e Salvador verdadeiramente em seus corações são salvos na hora, ou seja, a salvação é imediata.

Veja o que diz em Romanos 10.9: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.

Mas isto não significa que você não tenha que mudar ainda a sua vida, pois inúmeras pessoas aceitam Jesus tendo suas vidas completamente tortas e isto será mudado com a operação do Espírito Santo na vida desta nova pessoa.

E se não for verdadeira a minha decisão de aceitar Jesus?
Muitas pessoas aceitam Jesus da boca para fora, isto é, não fazem isto com o coração. É importante observar aqui que mesmo que tenha sido de forma inexpressiva, Deus vai considerar a sua decisão, cabendo agora a você assumir ou não o compromisso diante de Deus.

Contudo a salvação só é operada naqueles que aceitarem Jesus de forma verdadeira e só será mantida naqueles que permanecerem nos caminhos do Senhor.

Depois de aceitar Jesus, posso perder a salvação?
Sim. Basta você abandonar o compromisso que fez com Jesus e afastar dos seus caminhos.

Preciso mudar de religião para aceitar Jesus e ser salvo?
Aceitar Jesus é algo que tem que acontecer no coração, é uma experiência entre você e o Senhor Jesus. Envolve arrependimento, quebrantamento de coração e entrega pessoal.

Se a sua religião está comprometida com a palavra de Deus, prega que seus membros precisam obedecer a bíblia, prega o viver em santidade e tem Jesus como único e suficiente salvador, então não há necessidade de mudar de religião.

Para aceitar Jesus é necessário que eu esteja na igreja ou posso aceitar na minha própria casa?
Conhecemos relatos de pessoas que aceitaram Jesus em suas próprias casas depois de assistir a um culto pela TV ou ainda ouvindo uma pregação pelo rádio. Naturalmente que a igreja é o local onde se prega a palavra de Deus e portanto o local mais adequado, mas desde que seja verdadeira, esta decisão poderá ser tomada em qualquer lugar.

É possível aceitar Jesus pela internet?
Sim. Como visto nas perguntas acima, aceitar Jesus é algo particular entre você e o Senhor Jesus, portanto não importa o meio que alguém usou para dizer que você precisa aceitar Jesus. Se você sentiu tocado pelo Espírito Santo e deseja se entregar a Jesus poderá ser sim pela internet.

Se eu aceitar Jesus pelo rádio, Tv ou internet, qual igreja devo freqüentar?
Procure uma das igrejas do MPFA, ou uma igreja evangélica mais próxima de você e diga ao pastor que aceitou Jesus ouvindo um programa de rádio, vendo um culto na TV ou através da internet, diga que deseja entregar a sua vida a Jesus e congregar na igreja, imediatamente você deverá será aceito.