Categoria: Missões

Dia da Missionária

Missionária!
Um humilde e sincero coração foi deixado no altar! Ao ouvir o Chamado de Cristo, sem olhar para trás, uma jovem, senhora, mãe, esposa, abriu mão de sonhos e de joelhos, entregou-se. Pela fé decidiu viver, por amor resolveu salvar, como estrangeira caminha por ruas, praças e casas, de porta em porta oferece a cura da alma, o bálsamo da nação. São mulheres que se alistaram no exército de Deus, ousadas e abundantes na seara…Trazem o sorriso mesmo que em secreto as lágrimas molhem o travesseiro, levam o conforto e a esperança ainda que sua geladeira esteja vazia; Adotam como mães inúmeros filhos espirituais apesar de sua casa estar repleta de filhos consanguíneos! Mesmo atrás das cortinas seu toque é fundamental no espetáculo! Suas palavras são autoritárias para com os seres do mal, mas são doces como mel para com suas ovelhas; Não nasceram top models, nem almejam passarelas, mas influenciam gerações! Suas mãos saúdam com a graça do Senhor, seguram o microfone, ornamentam o altar, mas também preparam o alimento da família, limpam a casa, passam com carinho o paletó que será usado pelo esposo no culto que se aproxima. É em seus braços, cansados da labuta, que repousa o guerreiro pastor depois de mais um dia de batalha! Braços que abraçam quando se pensa em desistir do Ide! Diferentemente de muitas mulheres que subiram ao trono na história da humanidade, elas não se empenham em destruir povos, mas sim de preparar um povo que vai morar no céu. Não vivem para si mesmas, não ficam ao pé da cruz, mas a colocam em seus ombros e seguem pela via dolorosa até que um dia refuljam como as estrelas, sempre e eternamente!
Parabéns a você que decidiu ser mãe de nações.
Primeiro domingo de Setembro – Dia da Missionária (MPFA)
Texto: Danielle Alencar

Estatísticas Obra Missionária 2014

Aqui você confere um infográfico real do andamento da Obra Missionária 2014 em todo o MPFA. Os dados são coletados diariamente e fornecidos em porcentagem para facilitar a compreensão.

[graphs strips=”true”]
[graph title=”Arrecadação concluída” score=”97″ color=”#1e73be”]
[graph title=”Igrejas participantes” score=”100″ color=”#81d742″]
[/graphs]

[review]

Entenda o gráfico:

“Arrecadação Concluída”: representa a arrecadação que já foi feita em todas as igrejas que estão participando da Obra Missionária. Este critério varia de 0% – 100% do total de igrejas participantes.

“Igrejas Participantes”: representa a porcentagem de igrejas que estão participando da atual oferta missionária.

Missionários evangelizam tribo de canibais conhecida como “caçadores de cabeça”.

A tribo dos Sawis, da ilha de Papua-Nova Guiné e Indonésia, era até 50 anos atrás conhecida como violentos e canibais, hostis a tribos vizinhas e isolado do mundo exterior. Anteriormente conhecidos também como headhunters (caçadores de cabeça), essa etnia teve sua realidade transformada, e tem hoje 85% de seu povo identificado como cristão

O povo de Papua não teve nenhum contato histórico com evangelistas muçulmanos, como aconteceu o resto da Indonésia. Porém, evangelistas cristãos se estabeleceram fortemente entre eles, levando a eles a mensagem do Evangelho.

O trabalho missionário na região começou em 1962, com os missionários Don e Carol Richardson, viajaram para a ilha de Nova Guiné, com seu filho Steve (agora presidente dos Pioneiros-EUA), na esperança de compartilhar o evangelho com o povo Sawi.

Nos 13 anos que viveram entre os Sawi, Don e Carol (que faleceu em 2004), aprenderam a língua Sawi e traduziram para eles o Novo Testamento. Eles plantaram ainda uma igreja e discipularam os líderes Sawi para cuidar do rebanho cada vez maior de crentes.

Em 2012, 50 anos depois da chegada dos Richardsons entre os Sawi, Don e seus três filhos, Steve, Shannon e Paul, voltaram para a Indonésia para uma festa de aniversário organizada pela igreja Sawi e outras quatro tribos vizinhas, que foram evangelizados depois dos povos Sawi.

Don conta que quando chegou pela primeira vez em meio à tribo encontrou um grupo de 200 canibais armados com lanças e adornados com pinturas de guerra, mas que dessa vez foram recebido com alegria pelos, agora, cristãos.

– Três gerações depois, os mesmos que nos receberam em 1962, recebeu-nos de novo, cantando músicas alegres, desta vez na língua nacional e na sua própria língua tribal – afirma o missionário, que afirma que essa foi a experiência mais maravilhosa de sua vida até agora.

– Fiquei impressionado e encorajado pela profundidade gratidão dos povos Sawi. 50 anos depois, pela vinda do evangelho e seu impacto sobre suas vidas – observou Steve, segundo o Charisma News.

Os relatos dos missionários com a tribo de canibais foram contados no livro best-seller, Criança da Paz, de Don Richardson.

Assista um vídeo/relato dos missionários, baseado no livro (em espanhol):

httpv://www.youtube.com/watch?v=Fs5Kdt4r7HE

Fonte: Gospel Mais