Igreja Cristã Pentecostal - Portal Nacional

Categoria: Estudos Bíblicos

O Princípio da Honra

O Princípio da Honra

Romanos 13:7 (ACF)

Portanto, dai a cada um o que deveis: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem temor, temor; a quem honra, honra.

INTRODUÇÃO 

Vivemos em uma sociedade onde a maioria dos valores éticos, familiares e morais vem sendo abolidos dia após dia, produzindo um cenário de grande dificuldade para aqueles que ainda querem viver conforme os padrões que nos são fornecidos pela Palavra de Deus. Neste estudo abordaremos um desses princípios que tem sofrido uma alteração substancial e produzido muitos prejuízos àqueles que insistem em remover os limites estabelecidos por Deus através de sua palavra, tais limites tem como objetivo levar-nos a uma vida cristã saudável e abençoada.

Deuteronômio 27:17

Maldito aquele que remover os limites do seu próximo. E todo o povo dirá:  Amém.

Provérbios 22:28

Não removas os antigos limites que teus pais fizeram.

Deuteronômio 19:14

Não mudes o limite do teu próximo, que estabeleceram os antigos na tua herança, que receberás na terra que te dá o Senhor teu Deus para a possuíres.

Olhando esses textos alguém poderia questionar que os limites citados pelos autores são limites estabelecidos por homens e não por Deus, no entanto precisamos levar em conta o conteúdo do texto e a mensagem que eles querem nos transmitir. Quando a Bíblia fala sobre esses limites ou marcos antigos, referia-se a pequenas pedras semelhantes a pilares que eram postas como demarcadores de terras, que mostrava um limite que não poderia se ultrapassar. É importante fazermos uma aplicação nas nossas vidas com relação a questão dos limites para não ultrapassarmos aquilo que está posto, pois isso poderá nos causar grandes danos.

HONRA A DEUS

Hoje, muitas pessoas zombam de Deus, fazem chacota com coisas santas, profanam locais e objetos sagrados e isso é um perigo no qual nós – os filhos de Deus – precisamos estar vigilantes, basta olharmos na palavra de Deus que logo encontraremos exemplos de homens que receberam a mais dura punição por tais práticas.

PROFANAÇÃO DOS FILHOS DO SACERDOTE ELI

Aqueles homens profanaram seu sacerdócio, pecavam contra Deus, na hora do sacrifício, pelo que a Bíblia os descreve como filhos de Belial.

1 Samuel 2:12

Eram, porém, os filhos de Eli filhos de Belial; não conheciam ao Senhor.

1 Samuel 2: 17

Era, pois, muito grande o pecado destes moços perante o Senhor, porquanto os homens desprezavam a oferta do Senhor.

O Senhor repreendeu duramente ao sacerdote Eli por causa da maldade de seus filhos, inclusive falando do princípio da honra, onde Deus diz: Honrarei aqueles que me honram, mas tratarei com desprezo aqueles que me desprezarem.

1 Samuel 2: 27-30

E veio um homem de Deus a Eli, e disse-lhe: Assim diz o Senhor: Não me manifestei, na verdade, à casa de teu pai, estando eles ainda no Egito, na casa de Faraó?

E eu o escolhi dentre todas as tribos de Israel por sacerdote, para oferecer sobre o meu altar, para acender o incenso, e para trazer o éfode perante mim; e dei à casa de teu pai todas as ofertas queimadas dos filhos de Israel.

Por que pisastes o meu sacrifício e a minha oferta de alimentos, que ordenei na minha morada, e honras a teus filhos mais do que a mim, para vos engordardes do principal de todas as ofertas do meu povo de Israel?

Portanto, diz o Senhor Deus de Israel: Na verdade tinha falado eu que a tua casa e a casa de teu pai andariam diante de mim perpetuamente; porém agora diz o Senhor: Longe de mim tal coisa, porque aos que me honram honrarei, porém os que me desprezam serão desprezados.

APLICAÇÃO

Precisamos fazer uma análise de como temos nos apresentados diante de Deus, crentes de modo geral, pastores, missionárias e obreiros, é importante que através desse autoexame possamos identificar se estamos honrando a Deus em nossos cultos, sacrifícios, ofertas etc. A identificação de algo que esteja fora do padrão da Palavra de Deus é uma oportunidade para retornarmos ao campo da obediência.

HONRAR AOS PAIS

Parece até cafona para a geração hodierna falar sobre obediência aos pais, no entanto não podemos esquecer que este é um princípio Bíblico que jamais pode ser removido da vida do crente, os filhos de Deus que amam a Palavra do Senhor e honram a Deus sempre irão honrar seu pai e sua mãe, como nos é estabelecido na Bíblia Sagrada.

Êxodo 20:12

Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá.

Efésios 6:1-3

Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo.

Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa;

Para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra.

Podemos observar nos textos acima que existem promessas condicionadas à honra aos pais. A honra é como uma semente que lançamos no solo da obediência e depois de certo tempo colheremos os bons frutos dessa semeadura.

HONRA AS AUTORIDADES 

A grande maioria das pessoas encontra-se sob a liderança de alguém, seja na igreja, no trabalho, na escola ou em outras áreas. Até mesmo como cidadãos de uma nação, estado, município estamos sob a liderança de alguém. Faz-se necessário, como filho de Deus, que eu tenha um comportamento santo em relação àqueles que exercem algum tipo de autoridade sobre nós.

Romanos 13:1-2

Toda a alma esteja sujeita às potestades superiores; porque não há potestade que não venha de Deus; e as potestades que há foram ordenadas por Deus.

Por isso quem resiste à potestade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação.

O MENINO SAMUEL

Enquanto os filhos do sacerdote Eli eram profanos e rebeldes, o menino Samuel se mostra como exemplo de filho de Deus, íntegro, não deixou que os pecados daqueles homens o influenciassem, mas manteve-se santo e obediente a Deus e ao seu líder, no caso o sacerdote Eli, fazendo exatamente como era instruído.

Em 1 Samuel é descrito como era o procedimento daquele jovem, servindo a Eli e mantendo-se firme em obediência e temor 

1 Samuel 3: 16-20

Então chamou Eli a Samuel, e disse: Samuel, meu filho. E disse ele: Eis-me aqui.

E ele disse: Qual é a palavra que te falou? Peço-te que não ma encubras; assim Deus te faça, e outro tanto, se me encobrires alguma palavra de todas as que te falou.

Então Samuel lhe contou todas aquelas palavras, e nada lhe encobriu. E disse ele: Ele é o Senhor; faça o que bem parecer aos seus olhos. E crescia Samuel, e o Senhor era com ele, e nenhuma de todas as suas palavras deixou cair em terra.

E todo o Israel, desde Dã até Berseba, conheceu que Samuel estava confirmado por profeta do Senhor.

CONCLUSÃO

As nossas vidas são modificadas a partir do momento que reconhecemos que precisamos dar aos outros aquilo que aprendemos, se eu aplico esse princípio de honrar a quem devo honrar, certamente eu serei uma pessoa honrada. Precisamos ser humildes, precisamos respeitar e levar a sério aquilo que é estabelecido pela palavra de Deus.

 

Autor deste post:

Pr. Marcos Joel de Sousa
Pastor na ICP Piripiri – Bairro Paciência

A Fé dos Santos

A Fé dos Santos

Judas: 1:3

Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da salvação comum, tive por necessidade escrever-vos, e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos.

Após a nossa conversão fomos santificados, portanto todo aquele que recebeu o Senhor Jesus Cristo como salvador é declarado santo pelos méritos de Jesus.

Uma exegese da palavra de Judas 1:3, esta palavra é “amados”. Quem são esses “amados”? Certamente se trata dos crentes no Senhor Jesus Cristo. Estes são os amados por Deus, que foram chamados para viver neste mundo defendendo a fé.

Com o passar dos anos as coisas tendem a se modificar, muitos gostariam de subtrair ou adicionar alguma coisa às Escrituras, mas isso é impossível, pois a verdadeira Palavra de Deus tem permanecido por milênios e ninguém conseguiu modificar o seu conteúdo, porque acima dos homens está o Senhor nosso Deus. Ele disse que passará o céu e a terra, mas as Suas palavras jamais passarão.

O exército dos santos

A nossa luta não é política, não é ideológica e nem é uma guerra santa como muitos seguidores de outras religiões se identificam, a nossa luta é manter a integridade de nossa fé, fundamentada nas Palavras do Senhor Jesus Cristo, é uma luta espiritual para que ninguém deturpe a Palavra de Deus. Nossas armas são: a oração e a pregação do verdadeiro Evangelho. Para lutar, os santos devem se abster de qualquer coisa que possa prejudicar o chamado e a carreira cristã.

1 Coríntios 9:25

E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, uma incorruptível.

A luta é tanto pela pregação do Evangelho quanto pela defesa da fé, para manter firme aqueles que já foram alcançados pelo Evangelho. Essa batalha pela defesa da fé é o que mantém a integridade de nossa confissão de fé, de nossas doutrinas e a defesa da razão de nossa fé, isto é, daquilo que cremos.

Paulo quando escreveu a Timóteo ele disse claramente o que significa defender a fé.

2 Timóteo 2:10

Portanto, tudo sofro por amor dos escolhidos, para que também eles alcancem a salvação que está em Cristo Jesus com glória eterna.

“Tudo sofro por amor dos escolhidos”. Os defensores da fé estão prontos a sofrer tudo para proteger os escolhidos de todas as setas malignas que tentam destruir a fé dos discípulos de Jesus.

Paulo expressou que a batalha pela fé é tão importante que ele a comparou da seguinte maneira: 2 Coríntios 11:2. Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo.

Todos os salvos são convocados para defender a doutrina, pois a doutrina é a nossa fé. Não importa a idade, não importa o grau de instrução, nós precisamos defender aquilo que cremos. Seja na escola, seja no trabalho ou em casa, pois o inimigo está furioso contra a fé do povo de Deus.

2 Coríntios 11:3.

Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há em Cristo.

Nossa batalha é para que o novo convertido ou o irmão que já tem muito tempo de crente não seja iludido pelas astúcias de Satanás. Agora veremos as áreas em que Satanás tem pelejado e onde cada um de nós deve lutar e derrotar o inimigo.

Alguns de nós já se deparou até mesmo com pessoas que se dizem crentes que são adeptas desses dizeres: “não tem nadinha”, “Deus só quer o nosso coração”, “não podemos ser radicais”. Essas pessoas tentam simplificar ou substituir a cruz que devemos levar e semeiam heresias nos novos convertidos ou até mesmo naqueles que já tem um tempo de crente. Através da astúcia eles enganam, por isso devemos ficar atentos para que ninguém seja tragado pelo engano e astúcia dos homens.

Devemos lutar para que o “outro evangelho” não seja aceito:

Esse “outro evangelho” é maligno, anátema, mundano, carnal. O diabo tem tentado impor um novo evangelho dentro das igrejas,

Gálatas 1:6

Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho;

Gálatas 1:7

O qual não é outro, mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo.

Gálatas 1:8

Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.

Gálatas 1:9

Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema.

Esse “outro evangelho” é um evangelho sem renúncia, sem sacrifício, sem sofrimento, sem arrependimento, onde o pecador nunca é lavado pelo sangue de Cristo e nem regenerado pelo Espírito Santo.

Jamais devemos aceitar “outro Jesus”.

2 Coríntios 11:4

Porque, se alguém for pregar-vos outro Jesus que nós não temos pregado, ou se recebeis outro espírito que não recebestes, ou outro evangelho que não abraçastes, com razão o sofrereis.

O Senhor Jesus Cristo quando esteve na terra Ele falou que viriam outros cristos para tentar enganar os filhos de Deus. Mas hoje em dia tem aparecido dentro das igrejas “outro Jesus”. Você poderia perguntar: O que significa esse “outro Jesus”?

O “outro Jesus” é totalmente diferente do Senhor Jesus Cristo que é ensinado e adorado na verdadeira igreja.

Em nossas igrejas Jesus é o Senhor, é Salvador, é Santo e Todo Poderoso, e deve ser temido, honrado e adorado. Jesus é quem liberta, quem transforma e faz do homem uma nova criatura. Jesus é único, não podemos colocar em nossas igrejas um Cristo imaginado pelo homem, nós adoramos e servimos o Senhor Jesus Cristo que a Bíblia fala, Ele é tudo para nós.

Devemos lutar todos os dias e noites para que ninguém venha querer colocar outro fundamento, nós servimos ao Senhor Jesus Cristo o verdadeiro Deus e a vida eterna.

1 Coríntios 3:11

Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.

Esse “outro Jesus”, que muitas igrejas de outras denominações adotaram, não repreende, não disciplina, aceita músicas mundanas, rocks pesados, a pornografia, o adultério, o divórcio, o aborto, a prostituição e o casamento de pessoas do mesmo sexo. Esse “outro Jesus” aceita tudo isso para que as almas não sejam libertadas pelo verdadeiro Senhor Jesus Cristo. Esse “outro jesus” é imaginário, criado na mente dos homens que não nasceram de novo.

Nós – o povo fé em ação – batalhamos contra esse falso cristo, que engana, que é manipulado e controlado pelo homem.

Objetivos de nossa luta para manter a fé

a) Devemos preservar e ensinar nossas doutrinas para a geração de hoje e as futuras gerações. Se não lutarmos para preservar a doutrina e os usos e costumes, as gerações vindouras não terão conhecimento da verdadeira doutrina. Vamos ler o que diz o Salmo 78.

Salmo 78:3-8. 3  Os quais temos ouvido e sabido, e nossos pais no mostrando à geração futura os louvores do Senhor, assim como a sua força e as maravilhas que fez.

5  Porque ele estabeleceu um testemunho em Jacó, e pôs uma lei em Israel, a qual deu aos nossos pais para que a fizessem conhecer a seus filhos;

6  Para que a geração vindoura a soubesse, os filhos que nascessem, os quais se levantassem e a contassem a seus filhos;

7  Para que pusessem em Deus a sua esperança, e se não esquecessem das obras de Deus, mas guardassem os seus mandamentos.

8  E não fossem como seus pais, geração contumaz e rebelde, geração que não regeu o seu coração, e cujo espírito não foi fiel a Deus.

Como podemos ver, a ordem vem do Senhor que devemos lutar para preservar a sã doutrina. Essa é uma das razões pelas quais Paulo disse a Timóteo:

Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem. 1 Timóteo 4:16.

b) Preparar uma Igreja Pura e Santa para a Vinda do Senhor Jesus.

Quando o MPFA foi fundado no ano de 1991, O Espírito Santo nos instruiu a preparar uma igreja santa e pura, sem mácula e nem ruga ou coisa semelhante. Efésios 5:27. Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível. A vinda do Senhor Jesus se aproxima e nós temos pressa em preparar a igreja para entregá-la a Cristo. Portanto, não devemos dormir, precisamos ficar atentos porque o inimigo é perigoso e tem como objetivo mudar a doutrina e os usos e costumes

Algumas pessoas não entendem por que o MPFA nunca muda. Realmente nada muda em nosso ministério, foi assim desde o princípio e será até a volta do Senhor Jesus Cristo para levar a sua igreja para o céu.

Deuteronômio 5:32

Olhai, pois, que façais como vos mandou o Senhor vosso Deus; não vos desviareis, nem para a direita nem para a esquerda.

Que o Senhor Jesus Cristo nos guarde todos os dias de nossas vidas.

Amém.

O caos da intolerância

O caos da intolerância

O crente no Senhor Jesus Cristo sabe que não é deste mundo. Porém, muitos cristãos ainda vivem em uma bolha imaginária como se não tivessem responsabilidades com a sociedade em que vivem e isso é muito conveniente para o reino das trevas. O objetivo deste texto é provocar os leitores a uma reflexão sobre o seu papel enquanto discípulo de Cristo na atual sociedade.

Domingo, 19 de outubro, a América Latina alvoroçou-se com cenas de igrejas chilenas em chamas. As imagens que correram o mundo mostram os incendiários anticristãos comemorando, além de pichações que incentivam a violência e intolerância religiosa como: “muerte al Nazareno”. Uma realidade vivida diariamente pelos nossos irmãos orientais que surpreendeu, inexplicavelmente – pois não devia -, o Ocidente. Mas, e eu com isso?

O Brasil vive um momento ímpar, uma efervescência daquelas que levam ao menos uma década para se repetir. Chamam de conjuntura, ruptura, polarização e outros nomes difíceis de serem lembrados. No entanto, não é só aqui. Às vezes, estamos mergulhados em nós mesmos e não nos damos conta de que o mundo está vivendo grandes transformações. E o avanço da internet e o fenômeno das redes sociais tem funcionado como catalizadores dessas mudanças.

O Chile está inserido nesse contexto, mas, o processo não começou agora. Segundo o site de notícias da CNN Brasil, milhares de pessoas ficaram feridas e mais de 30 já morreram em protestos naquele país desde outubro de 2019. Neste ínterim, já ouvimos diversas tentativas de leitura do que está acontecendo por lá, inclusive, pronunciamento político-ideológico de brasileiros dizendo que deveria se fazer no Brasil o mesmo que alguns chilenos estão fazendo.

São os sacerdotes do caos. Há quem acredite que este seja a primeira entidade divina a surgir no universo, uma força antiga e obscura que manifesta a vida por meio da cisão dos elementos. Esse conceito sofreu muitas mudanças ao longo dos séculos, mas segundo R. J. Rushdoony (A política da pornografia), permanece a crença de que “o caos é sempre fértil, eternamente potente, e quando a ordem e a maturidade tornam-se muito acentuadas numa cultura, faz-se necessário um retorno ao caos revitalizante”.

Com a ascensão do iluminismo, emergiu, à sombra das ciências humanas, a subversão travestida de liberdade. Depois, o século XX testemunhou uma grande ênfase no primitivismo nas artes, bem como na cultura em geral. A busca pela satisfação dos desejos mais primitivos, o retorno ao misticismo e o sincretismo religioso imprimiu uma nova imagem em nossa sociedade. Não do seu Criador, e sim, da criatura. Mas, para isto, faz-se necessária “A morte de Deus”. Por isso, as igrejas queimadas e as palavras de ordem contra Jesus de Nazaré e seus seguidores.

Os dicionários de português definem a palavra tolerância como “o ato de tolerar, aceitar ou suportar”. Esta é uma palavra que está em alta no Brasil e é garantida pela nossa Constituição Federal nos mais diversos aspectos da vida. Porém, os mais barulhentos invocadores deste direito veem apenas uma via para usá-la: a que melhor lhes convém.

Somos um país fragmentado: diversidade religiosa, indefinição política e inumeráveis grupos sociais compõem uma nação vítima do abuso de poder político e econômico. Um povo refém de supostos defensores das minorias, mas, seus objetivos são manobrar as grandes massas a fim de levarem adiante suas pautas progressistas, corruptas e imorais. Ameaçam famílias e instituições religiosas, intimidam e assassinam a reputação de quem se opõem às suas ideias. E, a pior parte, contam com apoio de muitos parlamentares e até de alguns membros do judiciário.

Mas, e eu com isso? Esse cenário de caos ameaça as verdadeiras liberdades e tentam silenciar os embaixadores de Cristo, que já morreu, mas ressuscitou com poder e glória. É, portanto, uma guerra espiritual no mundo material, cujo objetivo é implantar ditaduras ideológicas e alargar os limites do reino das trevas. Estamos todos envolvidos nesta guerra, mas o que fazer?

Ore pela nação

Os judeus foram levados cativos para a Babilônia, o que era um motivo aparentemente justo para odiarem seus opressores, mas leia o conselho que Deus lhes deu: Jeremias 29.7 – E procurai a paz da cidade, para onde vos fiz transportar em cativeiro, e orai por ela ao Senhor; porque na sua paz vós tereis paz.

Exerça a cidadania

A começar pelo voto consciente. Amizade, popularidade ou mesmo promessa de emprego não podem ser critérios para a eleição de um candidato. Entregamos a eles o poder de decidir por nós. Novas leis, modelo de educação e demais políticas públicas impactam diretamente nossas vidas e o eleito precisa ter competência e idoneidade que garantam o mínimo de liberdade para vivermos nossas crenças.

Faça sua parte

“Mas, todo mundo faz isso”. Esta é uma afirmação que ouvimos constantemente quando se trata de pequenos delitos ou “pecadinhos”. Mas, é nosso dever como crentes ter um espírito excelente: Daniel 6.4 – Então os presidentes e os príncipes procuravam achar ocasião contra Daniel a respeito do reino; mas não podiam achar ocasião ou culpa alguma; porque ele era fiel, e não se achava nele nenhum erro nem culpa. 5 – Então estes homens disseram: Nunca acharemos ocasião alguma contra este Daniel, se não a acharmos contra ele na lei do seu Deus.

Os servos de Deus precisam refletir sobre a influência que exercem neste mundo, apesar de não serem daqui. O Senhor Jesus orou por seus discípulos pedindo ao Pai que os livrasse do mal, mas não que os tirasse do mundo. Caros, leitores, temos uma missão aqui e agora: representar o Reino de Deus contra este mundo que jaz no maligno. Façamos enquanto há tempo.