Igreja Cristã Pentecostal - Portal Nacional

Tag:

A Fé dos Santos

A Fé dos Santos

Judas: 1:3

Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da salvação comum, tive por necessidade escrever-vos, e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos.

Após a nossa conversão fomos santificados, portanto todo aquele que recebeu o Senhor Jesus Cristo como salvador é declarado santo pelos méritos de Jesus.

Uma exegese da palavra de Judas 1:3, esta palavra é “amados”. Quem são esses “amados”? Certamente se trata dos crentes no Senhor Jesus Cristo. Estes são os amados por Deus, que foram chamados para viver neste mundo defendendo a fé.

Com o passar dos anos as coisas tendem a se modificar, muitos gostariam de subtrair ou adicionar alguma coisa às Escrituras, mas isso é impossível, pois a verdadeira Palavra de Deus tem permanecido por milênios e ninguém conseguiu modificar o seu conteúdo, porque acima dos homens está o Senhor nosso Deus. Ele disse que passará o céu e a terra, mas as Suas palavras jamais passarão.

O exército dos santos

A nossa luta não é política, não é ideológica e nem é uma guerra santa como muitos seguidores de outras religiões se identificam, a nossa luta é manter a integridade de nossa fé, fundamentada nas Palavras do Senhor Jesus Cristo, é uma luta espiritual para que ninguém deturpe a Palavra de Deus. Nossas armas são: a oração e a pregação do verdadeiro Evangelho. Para lutar, os santos devem se abster de qualquer coisa que possa prejudicar o chamado e a carreira cristã.

1 Coríntios 9:25

E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, uma incorruptível.

A luta é tanto pela pregação do Evangelho quanto pela defesa da fé, para manter firme aqueles que já foram alcançados pelo Evangelho. Essa batalha pela defesa da fé é o que mantém a integridade de nossa confissão de fé, de nossas doutrinas e a defesa da razão de nossa fé, isto é, daquilo que cremos.

Paulo quando escreveu a Timóteo ele disse claramente o que significa defender a fé.

2 Timóteo 2:10

Portanto, tudo sofro por amor dos escolhidos, para que também eles alcancem a salvação que está em Cristo Jesus com glória eterna.

“Tudo sofro por amor dos escolhidos”. Os defensores da fé estão prontos a sofrer tudo para proteger os escolhidos de todas as setas malignas que tentam destruir a fé dos discípulos de Jesus.

Paulo expressou que a batalha pela fé é tão importante que ele a comparou da seguinte maneira: 2 Coríntios 11:2. Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo.

Todos os salvos são convocados para defender a doutrina, pois a doutrina é a nossa fé. Não importa a idade, não importa o grau de instrução, nós precisamos defender aquilo que cremos. Seja na escola, seja no trabalho ou em casa, pois o inimigo está furioso contra a fé do povo de Deus.

2 Coríntios 11:3.

Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há em Cristo.

Nossa batalha é para que o novo convertido ou o irmão que já tem muito tempo de crente não seja iludido pelas astúcias de Satanás. Agora veremos as áreas em que Satanás tem pelejado e onde cada um de nós deve lutar e derrotar o inimigo.

Alguns de nós já se deparou até mesmo com pessoas que se dizem crentes que são adeptas desses dizeres: “não tem nadinha”, “Deus só quer o nosso coração”, “não podemos ser radicais”. Essas pessoas tentam simplificar ou substituir a cruz que devemos levar e semeiam heresias nos novos convertidos ou até mesmo naqueles que já tem um tempo de crente. Através da astúcia eles enganam, por isso devemos ficar atentos para que ninguém seja tragado pelo engano e astúcia dos homens.

Devemos lutar para que o “outro evangelho” não seja aceito:

Esse “outro evangelho” é maligno, anátema, mundano, carnal. O diabo tem tentado impor um novo evangelho dentro das igrejas,

Gálatas 1:6

Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho;

Gálatas 1:7

O qual não é outro, mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo.

Gálatas 1:8

Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.

Gálatas 1:9

Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema.

Esse “outro evangelho” é um evangelho sem renúncia, sem sacrifício, sem sofrimento, sem arrependimento, onde o pecador nunca é lavado pelo sangue de Cristo e nem regenerado pelo Espírito Santo.

Jamais devemos aceitar “outro Jesus”.

2 Coríntios 11:4

Porque, se alguém for pregar-vos outro Jesus que nós não temos pregado, ou se recebeis outro espírito que não recebestes, ou outro evangelho que não abraçastes, com razão o sofrereis.

O Senhor Jesus Cristo quando esteve na terra Ele falou que viriam outros cristos para tentar enganar os filhos de Deus. Mas hoje em dia tem aparecido dentro das igrejas “outro Jesus”. Você poderia perguntar: O que significa esse “outro Jesus”?

O “outro Jesus” é totalmente diferente do Senhor Jesus Cristo que é ensinado e adorado na verdadeira igreja.

Em nossas igrejas Jesus é o Senhor, é Salvador, é Santo e Todo Poderoso, e deve ser temido, honrado e adorado. Jesus é quem liberta, quem transforma e faz do homem uma nova criatura. Jesus é único, não podemos colocar em nossas igrejas um Cristo imaginado pelo homem, nós adoramos e servimos o Senhor Jesus Cristo que a Bíblia fala, Ele é tudo para nós.

Devemos lutar todos os dias e noites para que ninguém venha querer colocar outro fundamento, nós servimos ao Senhor Jesus Cristo o verdadeiro Deus e a vida eterna.

1 Coríntios 3:11

Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.

Esse “outro Jesus”, que muitas igrejas de outras denominações adotaram, não repreende, não disciplina, aceita músicas mundanas, rocks pesados, a pornografia, o adultério, o divórcio, o aborto, a prostituição e o casamento de pessoas do mesmo sexo. Esse “outro Jesus” aceita tudo isso para que as almas não sejam libertadas pelo verdadeiro Senhor Jesus Cristo. Esse “outro jesus” é imaginário, criado na mente dos homens que não nasceram de novo.

Nós – o povo fé em ação – batalhamos contra esse falso cristo, que engana, que é manipulado e controlado pelo homem.

Objetivos de nossa luta para manter a fé

a) Devemos preservar e ensinar nossas doutrinas para a geração de hoje e as futuras gerações. Se não lutarmos para preservar a doutrina e os usos e costumes, as gerações vindouras não terão conhecimento da verdadeira doutrina. Vamos ler o que diz o Salmo 78.

Salmo 78:3-8. 3  Os quais temos ouvido e sabido, e nossos pais no mostrando à geração futura os louvores do Senhor, assim como a sua força e as maravilhas que fez.

5  Porque ele estabeleceu um testemunho em Jacó, e pôs uma lei em Israel, a qual deu aos nossos pais para que a fizessem conhecer a seus filhos;

6  Para que a geração vindoura a soubesse, os filhos que nascessem, os quais se levantassem e a contassem a seus filhos;

7  Para que pusessem em Deus a sua esperança, e se não esquecessem das obras de Deus, mas guardassem os seus mandamentos.

8  E não fossem como seus pais, geração contumaz e rebelde, geração que não regeu o seu coração, e cujo espírito não foi fiel a Deus.

Como podemos ver, a ordem vem do Senhor que devemos lutar para preservar a sã doutrina. Essa é uma das razões pelas quais Paulo disse a Timóteo:

Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem. 1 Timóteo 4:16.

b) Preparar uma Igreja Pura e Santa para a Vinda do Senhor Jesus.

Quando o MPFA foi fundado no ano de 1991, O Espírito Santo nos instruiu a preparar uma igreja santa e pura, sem mácula e nem ruga ou coisa semelhante. Efésios 5:27. Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível. A vinda do Senhor Jesus se aproxima e nós temos pressa em preparar a igreja para entregá-la a Cristo. Portanto, não devemos dormir, precisamos ficar atentos porque o inimigo é perigoso e tem como objetivo mudar a doutrina e os usos e costumes

Algumas pessoas não entendem por que o MPFA nunca muda. Realmente nada muda em nosso ministério, foi assim desde o princípio e será até a volta do Senhor Jesus Cristo para levar a sua igreja para o céu.

Deuteronômio 5:32

Olhai, pois, que façais como vos mandou o Senhor vosso Deus; não vos desviareis, nem para a direita nem para a esquerda.

Que o Senhor Jesus Cristo nos guarde todos os dias de nossas vidas.

Amém.

Vozes Peregrinas

Vozes Peregrinas

Ter uma boa perspectiva está cada vez mais difícil. Viver em um mundo alienado pelo deus deste século dá uma sensação de que todo mundo quer puxar o seu tapete. É assim que me sinto muitas vezes quando tento compreender o atual contexto brasileiro.

Quem ler este texto no site de uma igreja evangélica pode se perguntar: “qual a relevância disso?” Eu digo que é enorme. Ministrar a Palavra de Deus e, sobretudo viver conforme esta Palavra, requer muita perseverança, acompanhada de discernimento para que se possa entender o sentido de estarmos aqui.

Dentre os livros que já li, “O Peregrino”, de João Bunyan, é um dos que mais me impressionam. Nele, o autor narra ‘a história da viagem de um Cristão à cidade celestial’. Escrito no Século XVII, tornou-se um clássico. O escrito de maior circulação, depois da Bíblia, nos séculos seguintes.

A habilidade do escritor com as palavras para ilustrar a jornada de Cristão é fascinante. A personificação dos sentimentos humanos e a forma como o viajante lida com eles atrai o leitor para dentro da história levando-o a identificar-se fortemente com Cristão em seu desejo de alcançar a bem-aventurança eterna.

Arrebatado pelo texto, eu quis saber mais sobre o autor e, confesso que não imaginava o impacto que isso me causaria. Seu testemunho é inspirador. O próprio livro “O Peregrino” foi escrito enquanto Bunyan estava preso. Foram muitos julgamentos e ameaças porque ele pregava o evangelho de Cristo, o que lhe custou doze anos de prisão.

A época em que João Bunyan viveu também era completamente alienada pelo estado que instrumentalizou a religião a fim de concentrar o poder e moldar a sociedade conforme a vontade de seus líderes. Mesmo assim, ele não se rendeu ao sistema e perseverou em sua missão: pregar o evangelho em qualquer oportunidade que tivesse.

A maioria dos cristãos em nosso tempo não estão prontos para isso. Não suportam nem ler um comentário na internet e já estão prontos para um acalorado e insensato debate, sempre com o argumento ímpio de que não leva desaforo para casa. Neste caso, também não leva unção ou bênção alguma.

Precisamos olhar para o testemunho dos homens e mulheres de Deus que transcendem a história. João Bunyan é um Abel de sua época em mansidão e fé:

Hebreus 11.4 – Pela fé Abel ofereceu a Deus maior sacrifício do que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho dos seus dons, e por ela, depois de morto, ainda fala.

Assim como o testemunho de Abel, a vida de João Bunyan continua falando através de seus escritos. Depois de morto, ainda fala. Isso só é possível porque ele tinha plena confiança em Deus e se entregou sem reservas. Nós devemos aprender com ele para que, passada nossa geração como peregrinos que somos, nosso testemunho continue a falar do Mestre Jesus.