Um novo ano para sermos transformados

“ROGO-VOS, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. 2 – E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus” (Romanos 12.1,2).

É fato. Chegamos ao final de mais um ciclo. Hoje (1º de janeiro), começa um novo ano. Mas, o que fazer para que não seja só mais um ano como todos os anteriores?

Todos os finais de ano são muito parecidos: as pessoas vão às compras, algumas viajam, fazem planos e promessas… No entanto, quase sempre é só mais um clichê que a maioria das pessoas repetem ano após ano sem, porém, experimentarem as mudanças que sonham ou necessitam.

É possível que este ano seja diferente? Sim, porém, não como imaginamos. Certamente muitas mudanças acontecerão, independente de nós tentarmos ou não. Contudo, nem sempre são como gostaríamos. Às vezes, são exatamente o oposto do esperado. Como está escrito no livro de Provérbios: “Do homem são as preparações do coração, mas do Senhor a resposta da língua” (Provérbios 16.1).

Mas, o texto em Romanos 12 nos dá dicas de como podemos nos preparar para essas mudanças. Mais importante ainda, ele sugere que busquemos essas mudanças.

Sacrifícios e renúncias

A Palavra de Deus nos convida para algo novo. Uma mudança que acontece de forma progressiva, porém, radical. O convite é para que nos apresentemos a Deus em forma de sacrifício. As festas de fim de ano causam uma comoção momentânea nas pessoas. Parecemos mais sensíveis, solidários e as felicitações afloram de maneira que queremos o bem e a prosperidade de todos.

Porém, passada a emoção da contagem regressiva e feitos os votos, a vida segue superficial e fria. Ora, não adianta trocar o calendário sem virar a página da nossa vida. Assim como deixamos o velho ano para trás, precisamos renunciar também à velha natureza: “Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus (Fp 3.13,14).

Há ainda os que recorrem às simpatias na tentativa de manipular as forças sobrenaturais para obterem sucesso no ano seguinte. A verdade é que nossa prioridade deveria a mudança interior. O texto em Romanos 12 diz que devemos começar apresentando nosso corpo em sacrifício vivo, ou seja, morto para o pecado e vivo para Cristo. É um convite à renúncia. O versículo continua advertindo para sermos também santos e agradáveis a Deus. Não podemos agradá-lo vivendo em pecado.

Transformação e renovação

Não podemos ser arrogantes com uma visão antropocêntrica inabalável de que agora tudo vai dar certo porque nós somos bons, nos garantimos nisto e naquilo. Nenhum homem ou mulher jamais conseguirá ser autossuficiente e viver uma vida de sucesso e felicidade alheio à palavra de Deus. Ele nos adverte: “Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento” (Provérbios 3.5).

O ser humano é apenas um pequeno item da criação. Embora tenha sido feito à imagem e semelhança do Seu Criador (Gn 1.26,27), o homem pecou e foi destituído da glória de Deus (Rm 3.23), tornando-se um ser caído e sujeito ao caos resultante do pecado (Rm 8.19-22). Portanto, necessita de redenção, visto que não é autossuficiente.

“Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno os seus pensamentos, e se converta ao Senhor, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar (Isaías 55.6,7). Eis aí a oportunidade de uma nova vida em um novo ano.

Enquanto o ser humano não entender essas verdades, não poderá ser considerado bem-sucedido. Ainda que este mundo o reconheça e admire, seu interior é fracassado. A verdadeira transformação só acontece mediante renovação do nosso entendimento. “E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus” (Rm12.2).

O presente mundo é mau. Como filhos e filhas de Deus, precisamos submeter a nossa mente e projetos à Palavra de Deus. É ela quem nos transforma para que tenhamos a mente de Cristo. Progressivamente, ela propõe uma transformação radical, porém, com recompensas eternas.

Autor Pr. Josué Lima
Josué Lima é pastor na Igreja Cristã Pentecostal em Itaquera-SP

One comment

Deixe um comentário